A RevistaRia

A revista virtual da Ria Livraria

Editorial

Direção Geral: Marcos Benuthe

Coordenação editorial: Morgana Kretzmann

Editor: Ian Uviedo

Assistente Editorial e Artes: Caroline Joanello

Produção e Diagramação: Jarbas S. Galhardo

15ª Edição - espiritualidade & fé na literatura

Seja acendendo velas, trilhando peregrinações, meditando, se benzendo, recebendo ou falando com santos, entidades ou simplesmente observando, com os devidos respeito e cuidado, a pluralidade das práticas alheias, o certo é que a espiritualidade representa uma camada profunda da identidade humana, que reside junto a tantas outras coisas que continuamente nos atravessam e sentimos que, no entanto, parecem tão difícil de nomear, como se a espiritualidade habitasse uma reserva de mistério em cada um de nós, o mesmo mistério que nos faz criar, por exemplo, a literatura, a poesia e a arte, como respostas diante do desconhecido com o qual convivemos.

A fé, por sua vez, parece associar-se diretamente à continuidade das práticas, à ideia de que, não importa o que seja, se fizermos com convicção, verdade e amor, nossos atos trarão resultado. Tomemos como exemplo as freiras que rezam em conventos, e que também exercem funções sociais, ou os monges tibetanos que meditam em mosteiros, gerando karma positivo para todos os seres, visando o fim do sofrimento, ou ainda, o que é mais próximo de nós, os milhares de artistas e trabalhadores da cultura que, mesmo com tudo jogando contra, mesmo com um governo genocida os atacando com todas as suas forças, permanecem inquietos, criando maneiras de permanecerem juntos, vivos, até depois da tempestade. A fé pode estar no concreto e no abstrato. Dentro e fora de cada um.

A relação entre arte, espiritualidade e fé não é de hoje e se confunde muitas vezes ao longo da história das nações. Sobretudo se pensarmos na raíz dos três conceitos, que é a linguagem, como uma forma de lidar com o invisível. A sensação de ler um parágrafo especialmente luminoso ou contemplar uma pintura pode aproximar-se daquilo que alguém sente diante de um altar. E vice-versa. São ondas fortíssimas que nos habitam, e a maneira como navegamos por elas é que direciona nosso caminho.

Numa época de tantas perdas no nosso país, muitas delas evitáveis, a maioria por culpa desse desgoverno; numa época em que a intolerância religiosa parece institucionalizada e espaços sagrados como terreiros são depredados e associados à criminalidade sem nenhuma razão; numa época sombria como essa, convidamos 10 artistas, entre poetas, escritores, cineastas e desenhistas, para nos mostrar um pouco suas ideias a respeito de espiritualidade, tal como de que forma a escrita e o ofício artístico são, de alguma maneira, atos de fé.

Agradecemos, então, José Falero, Joseane Souza, Fabíola Cunha, Adriana Armony, Thais Fernandes, Hermes Veras, Morgana Kretzmann, Babalorixá Tafarodé, Ian Uviedo e Clóvis Stocker, por sua participação e atenção com nossa revista. Que a arte, o afeto e a vontade sejam nossos guias, e que nossa maneira de lidar com nós mesmos e com o outro seja uma forma de honrar a memória daqueles que se foram, para que possam ficar em paz. Estejam onde estiverem.

Lembre-se, são tempos difíceis, então tente ser gentil com o outro e com você mesmo.

Fiquem bem. Cuidem-se. Usem máscara.

Boa leitura!