Dois poemas andarilhos
Fabio Santiago

A Arte de Perder-se Por Aí

Atravessei os paralelos
Com luxação na alma

Encolho os ombros
Contorço o corpo
Caminho inclinado

Não há meridianos à vista
Para as rimas psicotropicais

Desvio a linha
Desdobro atalhos

Nos batimentos do verso
No tombadilho da página
Santigava à deriva o poeta

Circunflexos injetados na carne
Cerziam as arestas do poente

Tulipas cintilam
Duas tranças vertem de lá
Doce e delicado licor

Atravessei os paralelos
Com luxação na alma

Delírio amigos
A arte de perder-se por aí


 Colhendo Mangabas

Nesta manhã carnívora
Colhi mangabas

As paisagens remotas moram em mim
Romãs de caibro

Vaguei em redemoinhos versos

Se não caibo num livro
Habito o ar
Lábios nauseados

Nesta manhã o véu da chuva
Dilata enigmas

Cartamail de bico de pena
Necrosado poema

Santiago de Cuba está longe demais
Nesta manhã a aranha teceu um livro

Nesta manhã amigo
A cabeça parecia encostar no leito de minha mãe

Poeira cintilante
Rumo a jangada do mar

Chove no papel
O cheiro é de terra molhada
E a lua
Quem sabe volte a brilhar

arte: colagem, Carolina Quintella


Fábio Santiago
Fábio André Santiago Costa, nascido em Maceió, reside em Curitiba. Formado em Comunicação Social. Em 1997 foi indicado pelo escritor Valêncio Xavier para concorrer a uma Bolsa Vitae para jovens estudantes. Criador do blog "Acre Infuso" em 2004. Recebeu uma menção Honrosa do "Quepe do Comodoro", Premiação do Saudoso diretor de Cinema Carlos Recheinbach. Em 2018 teve um poema, "Flores e Sombras na Dobra do Tempo", publicado em uma Antologia Poética. Em 2019 publicou o e-book (Amazon) Mar de Sombras. Em 2020 publicou o livro Intramuros, pela editora Penalux.

foto: Angela Santiago


Carolina Quintella (Rio de Janeiro,1996) é escritora, professora, feminista e artivista. Licenciada em Letras Português/Espanhol pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, e mestranda em Literatura Brasileira pela mesma instituição, é coautora de sussurro: cantos de chuva (Editora Urutau, 2019) e Filhes de Sycorax (Desalinho editora e Ganesha Editorial, 2019). Mãe de colagens, poemas-visuais e alguns zines, acredita no poder das palavras. instagram: @quintellalina

foto: Rafaela Quintella

Para ler outros textos desta edição

Edições anteriores