Dois poemas

Tom Farias

TEUS DESEJOS

Este mar e estas ondas, onde rebentam teus desejos,
É o mesmo mar e a mesma onda, que nas sombrias noites
Roçam nas pedras, como se te dessem beijos,
Arranham tuas costas, como se fossem açoites...

São emanações da mais sutil ternura - são bocejos
De corpos que se espreguiçam, na dormência dos leitos,
Atados a mãos que se tocam, em curvos arquejos,
Na ardência cúpida da carne que te cobre os peitos...

Teus olhos acesos atiçam o fogo de toda a cobiça,
E são plácidos os sons que se permitem
Escutar do vento que estala na janela de cortiça...

Ouvem-se estalidos secos como finos estilhaços,
Saídos das mordentes sensações que se emitem
Da quentura dos gozos dos teus ardentes braços...



MIRÍADE

Canta a garganta acéfala
Do alfabeto da razão...
Da navalha que me corta a fala
Eu mordo a lâmina - cuspo
A nudez do seu sangue de aço
Enquanto temo tormentas
Da cicatriz do seu beijo
Ri de mim - meu desejo
Fruto escandido - doido e teso
Como a foz que tempera ventos
Tempestades
Dizendo de nós coisas mastigadas...

TOM FARIAS é formado em Letras, com especialização em Literatura Brasileira, jornalista, escritor, crítico literário, ensaísta, dramaturgo e roteirista. Tem quinze livros, entre biografias, romances e ensaios literários, com destaque para os premiados "Cruz e Sousa: Dante Negro do Brasil" (Pallas Editora), finalista do prêmio Jabuti 2009, e "José do Patrocínio: a pena da abolição" (Editora Kapulana, 2ª edição). Autor dos romances "Os Crimes do Rio Vermelho" (Papa-Livro Editora) e "A Bolha" (Patuá), escrito e publicado na pandemia. Tem inédito o romance "Toda Fúria". Publicou "Carolina, uma biografia" (Malê), finalista do Jabuti de 2019, e premiado pela Flup; e "Escritos negros: crítica e jornalismo literário" (Malê, 2021).

Atualmente escreve para o jornal O Globo, e colabora para Folha de S. Paulo e a revista QuatroCincoUm. Conquistou os prêmios da Academia Brasileira de Letras, Câmara Catarinense do Livro e a medalha de "Honra ao Mérito" do Governo do Estado de Santa Catarina (1998). Em 1996, seu livro "Poemas inéditos de Cruz e Sousa" ficou entre os 10 melhores na seleção da revista Veja. Na dramaturgia, participou do programa "Espelho", dirigido por Lázaro Ramos. Escreve para cinema e televisão, sendo consultor de Sylvio Back (cinema), Walter Negrão (televisão), entre outros. É um dos roteiristas da série "Os libertários", para a TV Cultura.

Atualmente coordena o "Centro de Estudos em História e Literatura Afro-Brasileira", da Universidade Zumbi dos Palmares. Esteve como professor convidado do curso de Pós-Graduação em Relações Étnico-Raciais da Universidade Cândido Mendes. No momento é Embaixador do Instituto Adus de Apoio aos Refugiados no Brasil. Tem diploma de "Cidadão Miracemense", da cidade de Miracema, e título de "Mérito Legislativo", da Câmara de Vereadores de Levy Gasparian.

Desde 1987, não deixei de publicar em revistas e jornais. Em 2022 lançará três obras: "Confissões de um menino preto", memórias; "Toda Fúria", romance; e "O homem que parou o Brasil - A vida de João Cândido", biografia. Faz parte do Conselho Curador do Grupo Folha de S. Paulo: "200 Anos, 200 Livros", juntamente com Heloisa Starling (UFMG) e Sérgio Dávila (Grupo Folha).

É membro eleita da Academia Carioca de Letras.