Poemas

Daniela Avelar

tarefa inútil 

a Mulher queria muitas coisas pequenas
e outras grandes
um minúsculo sim, de Yoko Ono,
escrito no teto
o homem queria poucas coisas
muito grandes
um grande arco, de Richard Serra, feito de aço corten 

quando uma coisa pequena ou grande
acontecia com a Mulher
o homem dizia
que orgulho
mas depois ficava bem pequeno
por não ter uma coisa grande 

tão pequeno
que derreteu
e a Mulher ficou
como o Francis Alÿs
empurrando gelo pela cidade do México 

tarefa inútil

porque nem ela era o Francis Alÿs
nem estava na cidade do México 

pra desempate,
o minúsculo sim 
encobre um enorme não sei
e a história termina
quando o homem diz
mais nada 


torre

uma criança com uma torre
uma torre de blocos
talvez
uma criança constrói uma torre
para ser destruída:
alegria
pelos blocos que se espalham no chão
ou 

um adulto com uma torre
uma torre de desejos
talvez
com gestos das mãos
como quem segura um objeto invisível
mostrando
nada 

um adulto que constrói uma torre para desabar:
alegria e tristeza 
no mesmo tempo 

triste com a queda
mas muito contente pois
já sabia
como uma haste apoiada sobre a cabeça
alinhada ao horizonte
equilibra sua torre sobre um pé só 

um adulto muito contente sem sua torre
contente com a certeza
sem dúvida
é sempre certo
de que tudo vai mesmo
desmoronar 


 Os dois poemas fazem parte da tese de doutorado de Daniela Avelar, chamada Tentativa de esgotamento de uma cor e outros desaparecimentos. 


DANIELA AVELAR (São Paulo, 1988) é artista visual e escritora. Doutora em Artes Visuais (Udesc-SC), investiga instrumentos literários como apropriação, uso e recontextualização a partir de restrições autoimpostas em instalações, publicações, vídeos e ações. Publicou os livros desde o meio de uma língua (2021), com Patrícia Galelli, Álbum (2018), encontros possíveis (2015), entre outros.

Foto: Tiago Luz