Poesia para matar o corona

Lucas Lins

Poesia pra Matar o Corona #16

casa lotérica
hipermercado extra

pessoaspessoaspessoaspes
soaspessoaspessoaspessoa
spessoaspessoaspessoaspe
ssoaspessoaspessoaspessoas

poluição
polui trânsito
buzina
vacina
pixo
panela
globo
lixo
impeachment
china
itália
trump
frança
londres
tosse
espirro
medo
morte
e
co
no


Poesia Pra Matar o Corona #29

espero pela inspiração
descascando a mexerica
aquela de casca laranja
que deixa os gomos folgados
num círculo coberto por teias
com caroço no ventre
espero pela inspiração
espirrando sem tempo de cobrir a boca
e minha mãe grita lá da sala
põe culpa na janela aberta
mas o fato é que procuro um livro
um objeto
estímulo para que o texto nasça
espero pela inspiração
admirando a palavra
nasça.


Poesia Pra Matar o Corona #38

o fio do chuveiro
pipocou mesmo morno
a emenda derreteu
assim que girou o fornecedor
barulho de moto canos de escape
desliguei o disjuntor
meu pai juntou as pontas do cabo a formar um elo
cobriu a emenda com fita isolante
e pronto
o banho voltou a ser quente
diz que preciso aprender o serviço
conserto elétrico é acima de cinquenta reais. 


Lucas Lins reside na zona leste de São Paulo, e é autor dos livros Remando Contra a Maré (2016) e Declínio & Esplendor da Bicicleta (2018). Foi Residente Literário da FLIM 2019. Em 2020 produziu a série de poemas sobre a quarentena intitulada Poesia Para Matar o Corona, trabalho com destaque no Jornal Estado de SP, Revista Select e publicado na revista mexicana Bitácora del Encierro.

Leia também

Entrevistas

Vê Só

HQ Ria - edição #11