Rota de câmbio

Sara Albuquerque

rota de câmbio

trotei pela Recoleta
os lábios apressados
a dois quarteirões no quarto de hotel
chamei de Borges o meu coelho da sorte
sempre imaginei que o paraíso envolvesse
orgasmos cósmicos

Borges durou por sete
alianças de segunda
mão

em seu epitáfio domingo
escrevi
vibrou em paz

e comi e rezei e tracei novos planos de amor:
encontrar um achado nas perdidas da Via del Corso
fazer narrativa com Elena


ontem
a cama
ensopada
de gozo

hoje
a cama
aguada
de choro

amanhã
a seca


fome de comando

a trombeta no gargalo
me pedem que fale
como um homem
calculados o cavalo
o trono e a troia

eu
mulher comum
ainda assim
mulher
como um homem
nem a casca quanto mais o timbre

astuta
como uma mulher
como
um homem
só na cama

SARA ALBUQUERQUE nasceu em Maceió, em 1990. Mestra em Escrita Criativa pela PUCRS. É uma das idealizadoras da Oxibá Casa Literária. Autora dos poemas em Sete centímetros de língua (Patuá, 2018) e Giz Morrendo (Iogram, 2018); e dos títulos infantis O segredo do rio Mundaú (2011); O embrulho misterioso de Nina (2013) e Ei, você viu Luizinho? (2013), integrantes da Coleção Coco de Roda da Iogram. Trabalha com performance e literatura no projeto Leitura que Sara nas plataformas digitais.