Dois poemas-pólis
Alessandro Buzo

Fale de mim

Luto pelo que acredito.
Sempre fui determinado.
Confesso que morreria, se fosse alienado.
Cumprir ordem de patrão, não dá mais não.
Mas, não vivo de ilusão.
Corro atrás todo dia, ninguém correria por mim.
O Hip Hop e a literatura, me levaram pra tanto lugar.
Do Acre ao Rio de Janeiro, passei também em Goiás.
Nunca me esqueço, de Minas Gerais, Bahia e Maranhão.
Fortaleza só fiz um rasante, em Buenos Aires cheguei.
Porto Alegre, Gramado, amo o Rio Grande do Sul.
Curitiba já fui, antes passei por Londrina.
Interior tudo nosso, de Piracicaba à Campinas.
Essa vida de Andarilho, não me trouxe muita grana.
Mas amigos eu deixei, em todo lugar que passei.
Sou o que sou, um Suburbano Convicto.
Humildade aqui, não é da boca pra fora.
Assim que eu sou.
Faço pelos outros, sem olhar a quem.
Mas se pisar na bola, não vou dizer amém.
Sou humilde, amigo, mas não sou bobo.
Carneirinho por aí, por trás vira lobo.
Na vida aprendi, que é dando que se recebe.
Depois também, dinheiro pra que serve.
Tem gente que tem muito, mas não tem felicidade.
Eu com pouco, sou feliz de verdade.
Só não perco minha maior virtude, que é a humildade.
Amigos vêm e vão, muita coisa envolvida.
Amigo mesmo, quero ser do meu filho.
Aos demais, se tão junto é tudo nosso.
Se não estão, eu lamento.
Pra finalizar, só uma dica.
Fale bem, fale mal, mas falem de mim.

Use a Máscara

Parece filme de ficção.
População mascarada.
Nas ruas, nas condução.
Nome disso é prevenção,
Contra o vírus que mata.
Virou até moda, cada um no seu estilo.
Só não pode usar no pescoço.
Muito menos não usar.
Máscara em 2020 é realidade.
O novo normal.
Quem diria,
Parece filme, mas é real.

arte: Camila Kohn


Alessandro Buzo tem 47 anos, nascido e criado no Itaim Paulista, extremo da zona leste de São Paulo, hoje é morador de Camburi em São Sebastião-SP, Litoral Norte. Vida comum de periférico, trabalhando pra sobreviver desde os 13 anos de idade. No ano de 2000, lançou independente o livro O TREM - BASEADO EM FATOS REAIS. A partir daí mudou sua trajetória. Hoje, Alessandro Buzo é autor de 13 livros no Brasil, entre eles Guerreira, Hip Hop - Dentro do Movimento, Favela Toma Conta 1 e 2, Ruas de Fogo, O Filho da Empregada. Um livro na Argentina Del Cuento a La Poesia, lançado em abril de 2018 na Universidade de San Martin em Buenos Aires. Organizador de 13 coletâneas literárias, 7 volumes da coleção Pelas Periferias do Brasil e 6 volumes da coleção Poetas do Sarau Suburbano.


Camila Kohn é artista intermídia. Graduada em Artes Visuais pela Unesp, vive e trabalha em São Paulo. Entre pintura, colagem e instalação, tem como principal suporte o arranjo de objetos, criados e encontrados. Em 2018 apresentou a série de pinturas em grande formato Infiltrações e esteve na residência artística do grupo de pesquisa L.O.T.E. na Fundação Marcos Amaro (Itu, SP). Em 2019 e 2020 fez duas montagens de Três Relatos, a instalação itinerante em constante construção.