Dois poemas-urbis

Andrea del Fuego

Cidades Visíveis

Ítalo Calvino
não incluiu minha cidade

telefonei e perguntei
ele prometeu imaginar
minha rua

Calvino sofreu um acidente
trem tombou
a caminho de Paranapiacaba

ficou preso às ferragens
bombeiro Osvaldo perguntou
o senhor está bem?

vagão cheio de criança
escoteiras
nenhuma esmagada
menos a líder

Calvino perdeu as pernas
Osvaldo serrou as duas
chegou às Clínicas
com metade das coxas

o aleijado pediu um táxi
com a alta na mão
e antiinflamatórios
no bolsinho da cadeira de rodas

estacionou na minha porta
não desceu

telefonei outra vez
Calvino disse que dormiu
distraído com outro lugar

Semáforo-abajur

carros atravessam a sala

a ponte que liga meu quarto à cozinha

trincou

não interdito

que despenque


não tenho habilitação

deixei automóvel morrer

o cone caiu na baliza

vou ao banheiro a pé


tráfego pesado no tapete

não conseguem ultrapassar

o monte de espaguete

derrubado

há quatro dias


a sala se alarga

o sofá cobre a região subsariana

televisão parafusada no litoral

a porta na divisa com os Andes


vôos saem de seis em seis horas

para aqui mesmo

arte: Camila Kohn


Andréa del Fuego é escritora, formada em Filosofia pela USP. Autora de oito livros entre contos, infantis e o romance Os Malaquias (vencedor do Prêmio José Saramago) publicado em Israel, Alemanha, Itália, França, Romênia, Suécia, Kuwait, Portugal e Argentina. Ministra oficinas de escrita criativa e atualmente pesquisa a obra de Raduan Nassar na Filosofia (USP). 

foto: André Sader


Camila Kohn é artista intermídia. Graduada em Artes Visuais pela Unesp, vive e trabalha em São Paulo. Entre pintura, colagem e instalação, tem como principal suporte o arranjo de objetos, criados e encontrados. Em 2018 apresentou a série de pinturas em grande formato Infiltrações e esteve na residência artística do grupo de pesquisa L.O.T.E. na Fundação Marcos Amaro (Itu, SP). Em 2019 e 2020 fez duas montagens de Três Relatos, a instalação itinerante em constante construção.