Vê só
Quem você indicaRia?

A partir da edição presente, cada um dos responsáveis pela RevistaRia indicará nesta coluna, como parte do programa "VêSó", uma parceria entre o Centro Cultural B_arco e a Ria Livraria encabeçada por nosso mestreamigo Marcelino Freire, as obras, artistas, ou personalidades que tem nos inquietado, como uma forma de sugerir aos nossos leitores um diálogo sobre aquilo que gostamos de ver, fazendo-nos sentir menos sós.

Morgana Kretzmann indica:

Leia mulheres, primeiro livro de contos do coletivo Leia Mulheres (São Paulo: Pólen Livros, 2019), reúne o que há de melhor entre as escritoras, já conhecidas e iniciantes, que integram este importante grupo criado em 2014 e que está presente em mais de 300 cidades brasileiras.

Organizado por Juliana Leuenroth, Juliana Gomes e Michelle Henriques, e com uma edição primorosa, é obra de olhares e vozes variadas, instigantes, comoventes e essenciais.

Acesse e leia: https://leiamulheres.com.br/

Marcos Benuthe indica:

Noite Vazia, filme de Walter Hugo Khouri produzido em 1964 e com trilha sonora esplêndida de Rogério Duprat. 

Uma obra que fala da solidão na cidade grande utilizando-se de uma estética impecável. Merece ser visto e revisto, principalmente nos dias de hoje. 

Está disponível aqui.

Ian Uviedo indica:

O trabalho do poeta, pesquisador, editor, jornalista e tradutor Rodrigo Qohen

É autor dos livros "Dente Desperta", "Parricídio", "Entre a Vertiginosagem", e outros, todos publicados pela Baboon Impressões, sua editora que participa de diversas feiras de publicações independentes pelo Brasil. 

Seus textos podem ser encontrados no site https://quimeradelirante.wordpress.com/

Jarbas Galhardo indica:

Uma nova estrela que desponta para a música. Gabriel Estrela, agora Gaê, tem 28 anos, é cantor, ator, diretor de teatro, dramaturgo, e por 4 anos esteve a frente do Projeto Boa Sorte, de repercussão nacional, que envolvia, entre outras coisas, um espetáculo musical de sua autoria e um canal do Youtube sobre saúde sexual, prevenção e sua experiência com o HIV. Hoje, Gaê dedica sua trajetória à criação musical, na qual compõe, canta, produz e tece muitas parcerias sonoras e envolventes.

Conheça mais o Gaê e seu trabalho: Som do Gaê no Youtube e no Instagram, @somdegae

Leia também

Entrevistas

Visuais